AS TRÊS LARANJAS DO AMOR

A História da História

Alguns contos acompanham a vida da gente desde sempre...

Em 1999, quando buscava material para meu projeto Dançando Histórias, Regina Machado me presenteou com o conto popular espanhol “Las tres naranjas del amor”. Imediatamente reconheci ali a história “A Moura Torta” que minha tia, a Titita, costumava me contar de boca, em seu colo. Foi amor à primeira vista, ou melhor, relembrança.

Naquele ano, apresentei “As três laranjas do amor” no lançamento do livro A Formiga Aurélia e outros jeitos de ver o mundo, escrito por Regina. Em 2000 a história integrou os “Contos Flamencos” da trilogia de espetáculos Dançando Histórias. E me acompanha até hoje.

Através dela costurei retalhos, dissolvi angustias e quebrei maldições. Deixei de me sentir uma espanhola cover ou uma brasileira sem pertencimento, pois o flamenco se abrasileirou e o Brasil se aflamencou na criação de um rendado próprio.

Profundo amor por essas laranjas.

 

Ficha técnica

As três laranjas do amor

Adaptação de “Las três naranjas del amor”, dos Cuentos Maravillosos Españoles de Antonio Rodriguez Almodovar.

 

Cantiga Tradicional:

“Flor, minha flor” (pesquisa Dona Esther Pedreira de Cerqueira) adaptada por Cristiane Velasco e Yuri Cayres para guajira flamenca.

Sevilhana Brasileira:

“Minha Flor de Laranjeira” (Cristiane Velasco e Yuri Cayres)

 

Com:

Cristiane Velasco: voz, castanholas e sapateado.

Yuri Cayres: guitarra flamenca por bulerias, silencio de alegrias, guajira e sevillanas.

Beto Angerosa: cajon e palmas.

Guilherme Sapotone: efeitos.

Crianças: João Tenucci, João Pedro, Alice, Tomé e Dora.

© 2016 Cristiane Velasco. Todos os direitos reservados.

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone